sábado, 2 de novembro de 2013


Este sistema político falhou e o sistema económico está podre,só falta saber a forma de sair disto.Fazer um golpe e colocar tropas na rua é relativamente fácil(desde que haja vontade de alguns oficiais)o pior é depois como se viu em 1974,uns iam para a esquerda e outros para a direita,e os problemas aumentaram em vez de se reduzirem.Agora fazer uma Revolução a sério já envolve uma estratégia e um projecto viável(nem fascista nem social-fascista) para o país.Um projecto alternativo ao euro(não podemos esperar pelo BCE que o sr Seguro espera)e alternativo aos mercados(não podemos acreditar nos agiotas que criaram a crise de 2008).Há alguém a trabalhar nesse projecto??


do discurso de Spinola(o tal da maioria silenciosa)em 10 de Setembro de 1974,eis aqui: " A maioria silenciosa do Povo Português terá,pois,de despertar e de se defender activamente dos totalitarismos e extremismos que se degladiam na sombra,servindo-se das técnicas bem conhecidas de manipulação de massas para conduzir e condicionar a emotividade e o comportamento de um povo perplexo e confuso por meio século de obscurantismo político.Mas a consentir-se um clima anárquico de reivindicação incontrolada,em nítida ultrapassagem das responsabilidades aos diversos níveis e em clara usurpação de direitos alheios,o País mergulhará no caos económico e social,que só a sectores minoritários poderão aproveitar.
É chegado o momento do País acordar para a realidade que somos,para o que queremos ser e para o futuro de anarquia a que nos querem conduzir certos inspiradores políticos."


"A primeira lição do processo português é que o Exército,a defesa tradicional dos valores e da fronteira territorial da Nação,pode ser um instrumento mortal,quando está manipulado por um grupo selecto de militares politizados por uma ideologia anti-nacional.
 Para os países Ocidentais a saída parece ser a politização das forças armadas,seguindo o exemplo do que se fez na URSS e no império asiático-europeu.
 Não são necessários os comissários políticos,mas é indispensável uma formação adequada no campo político-ideológico de modo a preparar as tropas para a sua função específica: defender a Nação contra todos os inimigos; internos e externos.
 Loureiro dos Santos está errado quando afirma que as FA servem para defender a "democracia".Mas o que é esse regime?É o País que conhecemos ou a oligarquia que tomou conta dele?É uma coisa que passará sobre montes de ossos e ninguém estará disposto a morrer por tamanha mentira.
 Há algo que nunca devemos esquecer: com gritos de "Viva Portugal" e de "Viva a Liberdade",e ainda com o "Povo Unido jamais será vencido" destruiu-se Portugal e a liberdade de viver independentemente.
Trata-se esta,da grande lição de Lisboa,que diz respeito ao oportunismo,à bancarrota,à traição e por fim,à vil vida que ficámos condenados a viver,sem direito a queixas porque foi um povo sem memória,deseducado,imbecilizado,que bateu palmas ao fim de si mesmo.E que ainda não aprendeu nada,o que é o mais grave.
Não escrevo,como é óbvio,senão para avivar memórias que para alguns são dolorosas.A Rua já não se lembra de nada e pensa que tudo começou agora com a nova oligarquia para quem dirige a sua ira.
Esqueceram-se obviamente que herdaram um país com finanças equilibradas,sem dívidas,sem necessidade de ir cabeça baixa falar ao senhor Hollande e à senhora Merkel,os melhores representantes do dominante eixo dos senhores de Berlin/Paris.O povo perdeu a liberdade,mas nem deu por isso."

António Marques Bessa in Portugal - Tempo de Todos os Perigos

http://causadasregras.com/?product=portugal-tempo-de-todos-os-perigos

http://visao.sapo.pt/divida-publica-uma-heranca-incontrolavel=f780018

sábado, 12 de outubro de 2013

www.bilder-livros.blogspot.com


"Naquele país,seja qual for o seu grau de civilização e poderio,onde falece o amor da pátria,onde os vícios mais hediondos vivem à luz do sol,onde a todas as ambições é lícito pretender e esperar tudo,onde a lei,atirada para o charco das ruas pelo pé desdenhoso dos grandes,vai lá servir de joguete às multidões desenfreadas,onde a liberdade do homem,a majestade dos príncipes e as virtudes da família se converteram em três grandes mentiras,há aí uma nação que vai morrer."

Alexandre Herculano (História de Portugal,II)

"A inconsciência do escol nacional manifestou-se imediatamente após o 25 de Abril,ao não se aperceber que o que verdadeiramente estava em causa não era a democracia,mas os legítimos interesses da sua Pátria,da sua cultura e da sua civilização.Dividiu-se por isso,desde logo,numa pequena e indigna multidão de facções partidárias,alimentando-se os seus dirigentes com todas as fantasias que estão há muito a pôr em risco a sobrevivência da nossa civilização.Pensar-se que poderá sair riqueza do jogo dos partidos,da famosa adesão ao Mercado Comum(1975)e de outras fantasias,é estar completamente fora das realidades.Uma coisa são as possibilidades de criação de riqueza,outra o quadro político de exploração dessas possibilidades.Ora,a ofensiva russa e euro-americana começou desde logo(no ultramar primeiro)por lhe retirar as melhores daquelas possibilidades,pelo que se poderá concluir que mesmo oferecendo a democracia pluralista um melhor quadro para a distribuição  de riqueza não poderá distribuir aquilo que não cria.Naturalmente que os senhores do clube-euro-americano e russo sabem tudo isto muito melhor que nós.O Povo português,porém,só o saberá mais tarde."

Fernando Pacheco de Amorim in Portugal Traído(livro de 1975)

domingo, 6 de outubro de 2013


"A União Monetária Europeia constituiu um erro político,uma vez que eliminou a desvalorização apesar da enorme heterogeneidade dos países da zona euro. A saída da moeda única equivaleria à entrada de uma política de delimitação em relação à chamada "globalização".Quem rejeita uma "globalização" que submete o mundo a uma lei de mercado única que força a convergência não pode querer insistir no euro,a moeda que faz isto mesmo à Europa." (Wolfgang Streeck in Tempo Comprado)

"O nosso povo tem sempre correspondido,nas alturas de crise. As elites,as chamadas elites,é que sempre o traíram(...)"

Francisco Sá Carneiro em 2 de Abril de 1978


"Apresentei hoje de manhã a minha demissão do Governo ao primeiro-ministro.Com a apresentação do pedido de demissão, que é irrevogável, obedeço à minha consciência e mais não posso fazer.O primeiro-ministro entendeu seguir o caminho da mera continuidade no Ministério das Finanças. Respeito mas discordo.Expressei, atempadamente, este ponto de vista ao primeiro-ministro, que, ainda assim, confirmou a sua escolha. Em consequência, e tendo em atenção a importância decisiva do Ministério das Finanças, ficar no Governo seria um acto de dissimulação. Não é politicamente sustentável, nem é pessoalmente exigível. "-O Ex-ministro dos Negócios(agora vice-1º ministro)Estrangeiros Paulo Portas em Julho de 2013


"Já alguém se lembrou de perguntar aos mais de 900 mil desempregados no país do que lhes valeu a Constituição até hoje?" -  Pedro Passos Coelho(1º ministro desde Maio 2011), no seu discurso da Universidade de Verão 2013 do PSD

Os mercados financeiros não querem saber da cor política dos dirigentes dos países.Aos olhos da megapolítica,as políticas nacionais são conduzidas por anões que se devem vergar aos ditames do gigante financeiro.E sempre assim será...até que os anões se revoltem.

In a Quarta Guerram Mundial Já Começou (livro)


http://portugalnonevoeiro.blogspot.pt/2013/07/farsa-e-tragedia.html<<<<<<

http://portugalnonevoeiro.blogspot.pt/2011_10_01_archive.html

segunda-feira, 30 de setembro de 2013


"Os partidos políticos de direita são marionetas do capitalismo financeiro e os de esquerda estão encerrados em dogmas ideológicos."
Raquel Freire do Movimento 12 Março (M12M)


http://autarquicas2013.mj.pt/#

De acordo com os dados oficiais publicados no site daDirecção-Geral de Administração Interna (DGAI), quase metade dos 9.492.396 eleitores inscritos optaram por não exercer o direito de voto, enquanto 4.992.490 eleitores foram às urnas.Retirando os 340 mil votos em branco/nulos ao número de eleitores votantes o número de eleitores que votaram em alguém baixa para cerca de 4,65 milhões o qual é inferior ao número dos eleitores que não votaram em ninguém(ver link acima).


Quase sete por cento dos votos expressos nas autárquicas de domingo foram brancos ou nulos, um valor que subiu para mais do dobro face às autárquicas de 2009.
De acordo com os dados publicados no `site´ da Direção Geral da Administração Interna 193.284 votos foram em branco, o que corresponde a 3,87 por cento.
O número de votos nulos atingiu os 147.081, ou seja, 2,95 por cento. O total de votos brancos e nulos atinge os 6,82 por cento.
Nestas eleições, o número de votos em branco superou o número de votos no Bloco de Esquerda, que obteve 120.914 votos, e o número de votos no CDS-PP sozinho, 151.828 votos.
Os votos em branco nas eleições de domingo mais do que duplicaram face às autárquicas de 2009, quando se registaram 94.498, 1,72 por cento.
Pare,escute e olhe.

http://portugalnonevoeiro.blogspot.pt/2011/11/politica-no-nevoeiro.html

terça-feira, 3 de setembro de 2013


O Povo Português terá de estar alerta contra o assalto ao Poder que os defensores do falso espiritualismo cristão e do falso humanismo materialista,não deixarão de tentar.Assalto que terá o apoio de todas as forças materialistas do Ocidente. Mas há que enfrentá-los!Há que vencê-los!"-------------------------------------Fernando Pacheco De Amorim in Portugal Traído,livro de 1975

http://www.revistaoikos.org/seer/index.php/oikos/article/viewFile/184/125 o governo global planeado pelas elites internacionais.
 
A sociedade cristã perdeu na verdade a consciência de que a luta entre o marxismo e a democracia,entre o capitalismo de Estado e o capitalismo dos grupos financeiros,não é mais do que a expressão de divergências passageiras dentro da mesma concepção materialista do mundo e da vida.Tomar posição a favor de um ou de outro é sempre aliar-se com o mesmo inimigo,é trair a sua própria frente de batalha em benefício exclusivo de um inimigo com duas faces.A vitória de um ou de outro significará sempre a derrota da nossa concepção do mundo e da vida.(Fernando Pacheco De Amorim in Portugal Traído de 1975)
http://utilidades-em-geral.blogspot.pt/2012/06/httpcaminhoalternativo.html Duas faces da mesma moeda,capitalismo versus comunismo.
http://crimedigoeu.wordpress.com/2012/04/25/grupo-bilderberg-conspirou-25-de-abril-de-1974/

25 de Novembro sem máscara

  1. kuribeka.com.sapo.pt/25novembro.htm

    5.9 - Melo Antunes 5.9.1 - Não incluo o major Melo Antunes entre os que venderam Portugal, entre os que se tornaram réus do crime de traição à Pátria. Mas ...

Memorias16


  1. pissarro.home.sapo.pt/memorias16.htm

    Até Melo Antunes aceitou essa traição ao concordar com a ida das tropas cubanas para Angola. A tal ilusão, a tal cegueira em relação ao «imperialismo ...

Pinheiro de Azevedo 10


  1. amandio.rocha.pagesperso-orange.fr/10pin.htm

    5.9 - Melo Antunes. 5.9.1 - Não incluo o major Melo Antunes entre os que venderam Portugal, entre os que se tornaram réus do crime de traição à Pátria. Mas ...

terça-feira, 20 de agosto de 2013


Excerto do livro editado em 1976

No entanto 9 anos depois o Estado Português,pela mão do governo e do 1 º ministro Mário Soares,assinava a entrada na então CEE http://paramimtantofaz.blogspot.pt/2010/06/reflexoes-com-25-anos-de-atraso.html

Para além dos interesses(identificados no livro acima)podemos ver a quem mais interessa esta "Europa" no link seguinte(Alemanha poupa 41 mil milhões em juros)
 http://www.dinheirovivo.pt/Economia/Artigo/CIECO246009.html
enquanto os Estados Europeus do Sul pagam pela crise.

"Após a criação dos grandes espaços políticos como a UE, a emergência da globalização e a entrada em jogo de outros atores extraterritorializados, começou uma revolução que ainda não acabou, e que não sabemos como acabará. Muitos Estados perderam funções para os grandes Espaços Políticos, como as políticas fiscal, orçamental ou monetária. Outros, perderam os seus poderes reguladores, dominiais ou financeiros para outras áreas, mormente para uma entidade quase mítica, sem rosto ou sede, e que se designa por mercado."

Angelo Correia no jornal CM

https://artedeomissao.wordpress.com/2011/06/18/bilderberg-e-a-uniao-europeia/
___________________________________________________


  1. Edição Público Lisboa - Renovar o contrato social: em Portugal e na ...

    www.pressdisplay.com/pressdisplay/viewer.aspx?issue...
    há 4 dias - Renovar o contrato social: em Portugal e na Europa. A crise de regime está longe de terminar ... crise social em Portugal e na Europa. Paulo Trigo Pereira

quinta-feira, 4 de julho de 2013

Farsa e Tragédia

Na sua carta de demissão, dirigida ao primeiro-ministro, disse o ex-ministro das Finanças Vítor Gaspar: "O incumprimento dos limites originais do programa para o défice e a dívida, em 2012 e 2013, foi determinado por uma queda muito substancial da procura interna e por uma alteração na sua composição que provocaram uma forte quebra nas receitas tributárias. A repetição destes desvios minou a minha credibilidade enquanto o ministro das Finanças."

No seguimento desta demissão deu-se o golpe palaciano dentro do governo(por parte do cds)originando a farsa negocial(proposta pelo inquilino de Bélem) a que se chamou de "acordo de salvação nacional".O resultado final já todos conhecemos,há um governo 2.0 realinhado,ou seja mudaram algumas caras(com a figura central do golpe palaciano a ser promovido) para tudo ficar na mesma?Ou ainda pior?

Actualização dia 27 Julho: no mesmo dia em que a 2ª versão do governo é oficialmente admitido novas polémicas rebentam(com novos ministros e secretários ligados ora aos swaps ora ao bpn),esperemos pelo resto do filme.

http://lusotopia.no.sapo.pt/indexPTCoelho.html «« a ideologia do governo actual.


Há espaço para um novo partido político mas ele tarda a surgir.  
Um partido que rompa com a política de subserviência de Portugal à Alemanha e aos seus credores por parte do actual governo.   
Um partido que saiba desmascarar os socialistas, responsabilizando-os pelo estado a que o país chegou como governantes que foram durante 17 anos da democracia portuguesa. 
Um partido que vá buscar boas ideias a todos os partidos. Também ao Bloco de Esquerda e ao PCP, designadamente em matéria de renegociação da dívida, mas saiba transigir em aspectos quantitativos, a bem da governação.      
Um partido com gente nova, fora da política, oriunda da sociedade civil, sem complexos ideológicos.        
Um partido que saiba defender um novo regime político para Portugal, sustentado numa nova constituição elaborada pelos cidadãos e submetida a referendo, como se fez na Islândia.

Os governos em Portugal desde 1974 http://lusotopia.no.sapo.pt/indexPTGovernos.html


Num país onde a alta crim­i­nal­i­dade com­pra a sim­pa­tia das fig­uras de proa do regime com Jaguares ou ações a preço de amigo, Cavaco, Machete e Por­tas são senadores da República. Diz-se que quando a esmola é muita, o pobre descon­fia. Estes pobres não descon­fi­aram. Foram, no mín­imo ingén­uos, no máx­imo cúm­plices. Chega­dos aqui nem vale a pena dis­cu­tir mais. Cúm­plice ou ingénuo, nem um nem outro nos serve.

João Paulo Batalha no jornal Público


Fio de Prumo
Salvação nacional
A austeridade que nos impingiram é socialmente insuportável, injusta e está apontada aos alvos errados. O Estado português tem de pôr as contas em dia. 
(...)
Opinião de Paulo Morais no CM de 23-07-2013 clicar no vermelho

"Infelizmente, como se o nosso estoiro financeiro e a situação de paralisia europeia não fossem suficientes, juntaram-se-lhes, para formar a tempestade perfeita, um primeiro-ministro assombrosamente impreparado para a função, um líder da oposição que não garante credibilidade alguma e um Presidente que ora assiste a tudo impávido, ora intervém para lançar a confusão total e poder escrever nas memórias que foi o único que pôs o interesse nacional acima dos baixos interesses políticos." (Miguel Sousa Tavares, EXPRESSO, 20 de julho de 2013)

Acho que o interesse nacional na boca desta gente é um código para "interesse privado de nossos amigos tugas(no ex-bpn etc etc)e dos nossos credores estrangeiros".



Actualizado em 13/07/2013 :
Portugal baralhado
Não demite o Governo, mas recusa um novo Governo. Não marca eleições, mas marca eleições. Fica tudo adiado para 2014, quando Portugal, deseja-se, tiver a corda menos apertada em volta do pescoço. Cavaco Silva decidiu e baralhou tudo. 
(...)


http://ladroesdebicicletas.blogspot.pt/2013/07/o-balanco.html ««« O resultado de 2 anos deste governo

"O Governo português defende os interesses dos credores contra os interesses do país."

Paul De Grauwe (economista belga) em 6 de Julho de 2013

"O nosso povo tem sempre correspondido,nas alturas de crise. As elites,as chamadas elites,é que sempre o traíram(...)"
Francisco Sá Carneiro em 2 de Abril de 1978




"O problema fundamental da filosofia política é ainda aquele que Spinoza soube formular(e que Reich redescobriu) :
´´Porque é que os homens combatem pela sua servidão como se se tratasse da sua salvação?´´ Como é possível que se chegue a gritar: mais impostos!menos pão! Como diz Reich,o que surpreende não é que uns roubem e outros façam greve,mas que os explorados e os esfomeados não estejam permanentemente em greve; porque é que há homens que suportam há tanto tempo a exploração,a humilhação,a escravatura,e que chegam ao ponto de as querer não só para os outros,mas também para si próprios?"

in O Anti-Édipo - Capitalismo e Esquizofrenia (Livro)

segunda-feira, 10 de junho de 2013

http://www.wook.pt/ficha/os-privilegiados/a/id/15057911

Há políticos honestos?
Há, claro que há. Eles dividem-se em três grupos: os corruptos são uma minoria - serão 10% e 15% - só que é uma minoria que manda na maioria do dinheiro. Depois, há do outro lado da vida pública, um pequeno grupo de resistentes. No meio há uma quantidade imensa de cúmplices que são medrosos, têm medo de perder as poucas migalhas que têm pelo facto de serem políticos. Dá um estatuto social nalguns locais, uns bilhetes para o cinema e para o teatro, consegue-se mais depressa fazer obras na casa da sogra.
E os que cooperam podem vir a ser corruptos mais tarde?
Acontece muitas vezes serem absorvidos pelo sistema.
A corrupção tem partido?
Não. Ninguém escapa, depois é evidente que as responsabilidades são proporcionais ao peso que cada partido tem. Bastará ver que não encontra no parlamento partidos que combatam veementemente a corrupção. Porque será? Mais no link a seguir
 http://www.ionline.pt/artigos/portugal/paulo-morais-os-politicos-corruptos-sao-entre-10-15 %

Se as pessoas tivessem ideia da forma como estão em permanência a ser roubadas não só ia ter manchetes todos os dias como íamos ter revoluções todos os dias. O chumbo de quatro normas do Orçamento pelo Tribunal Constitucional terá representado um buraco de mil milhões de euros. Isso foi só o que o Estado português pagou a mais pelas PPP rodoviárias num ano.
Outro exemplo é o BPN: se ele custou aos portugueses 6 mil milhões de euros, é preciso recuperar parte significativa desse prejuízo. Como? Indo a uma sociedade chamada Parvalorem, que herdou a parte má do BPN. É possível fazer uma avaliação do prejuízo induzido pela gestão danosa e obrigar os responsáveis a pagar através do seu património ou através do património que ainda hoje detém, que é a Galilei, uma das sociedades mais poderosas de Portugal.--Continuação no link acima

Em video http://sicnoticias.sapo.pt/programas/jornaldas9/2013/06/06/entrevista-a-paulo-de-morais

Os governos em Portugal desde 1974 http://lusotopia.no.sapo.pt/indexPTGovernos.html

  1. O Governo Certo, No País Errado, Com O Povo Errado | A Educação ...

    educar.wordpress.com/.../o-governo-certo-no-pais-errado-com-o-povo-e...
    18/12/2012 - Da União Nacional salazarista à austeridade refundadora coelhista, passando pela Muralha de Aço gonçalvista, todos partilham a ideologia ...
  2. O JUMENTO: Ideologia, oportunismo, ignorânia ou má-fé?

    jumento.blogspot.com/.../ideologia-oportunismo-ignorania-ou-ma.html
    28/02/2009 - Para Louçã isso seria a confirmação da sua ideologia, para mim seria o início ... para depois andar trinta anos a queixar-se do gonçalvismo.
  3. Militares e intervenção política: Correntes ideológicas e contextos ...

    rccs.revues.org/189
    de J Freire - ‎2009 - ‎Artigos relacionados
    O mesmo não aconteceu, porém, em relação às ideologias políticas que se ..... de centro-esquerda (“melo-antunistas”), de esquerda (“gonçalvistas”) e de ...
  4. 25 de Abril, 2ªpagina - Home

    joaogil.planetaclix.pt/k2.htm
    O 3º Governo Provisório -- O 11 de Março de 1975 --- O Gonçalvismo ..... incluindo muitas de famílias partidárias da ideologia comunista, frequentaram o liceu, ..

terça-feira, 14 de maio de 2013

O Rapto da Europa

http://www.edicoes-apeiron.blogspot.pt/

"Os partidos políticos de direita são marionetas do capitalismo financeiro e os de esquerda estão encerrados em dogmas ideológicos."
Raquel Freire do Movimento 12 Março (M12M)

"A democracia portuguesa está suspensa porque as decisões políticas que afectam mais decisivamente os cidadãos não decorrem de escolhas destes nem respeitam a Constituição. Estalou um conflito fundamental entre os direitos de cidadania e as exigências dos "mercados" financeiros, e esse conflito está a ser decidido a favor dos "mercados". As decisões formalmente democráticas são substantivamente imposições do capital financeiro internacional para garantir a rentabilidade dos seus investimentos, tendo para isso ao seu serviço as instituições financeiras multilaterais, o Banco Central Europeu, a Comissão Europeia, o euro e os Governos nacionais que se deixaram chantagear. Ao contrário do fascismo histórico, o actual fascismo financeiro, em vez de destruir a democracia, esvazia-a de qualquer força para lhe poder fazer frente e transforma-a numa monstruosidade política: um Governo de cidadãos que governa contra os cidadãos; o Governo legitimado pelos direitos dos cidadãos que se exerce violando e destruindo esses direitos."
Boaventura De Sousa Santos in Manifesto de Mudança

Carta Maior - Economia - Bancos contra povos: os bastidores de um jogo manipulado
http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia_id=21443 «««
Este segundo artigo desta série mostra como o Banco Central Europeu e a Reserva Federal norte-americana se puseram ao serviço dos grandes bancos privados e não do interesse geral dos povos.


Entretanto,anos depois do deputado João Cravinho ter sido "empurrado" para o estrangeiro após ter apresentado um projecto de lei contra a corrupção,a mesma continua a proliferar.Vejamos o que este senhor(Paulo De Morais) tem para nos dizer: "Há procuradores que iniciam inquéritos que envolve gente importante. O que se diz é que não têm meios. Acontece que o caso dos submarinos já não é um caso de justiça, é um caso de regime. O governo, o parlamento, o presidente da república, tinham toda a obrigação de esclarecer este caso. Haver corrupção provada na aquisição dos submarinos e em Portugal não acontecer nada? Isso é do regular funcionamento das instituições? Isto não é um problema do aparelho judicial, é bem mais profundo.


"Estamos na iminência de uma fractura social entre os que se safam e os que estão em dificuldades.Nós ,aqui nesta mesa(onde estavam Sampaio,Balsemão,Souto Moura e dois gestores de grandes multinacionais),safamo-nos sempre,mas há gente que não."
 -Jorge Sampaio na Conferência Reinventar o Futuro de 19 de Março 2013

Entretanto  começa dia 6 de Junho mais uma reunião Bilderberg(onde o sr Balsemão é figura de relevo)na qual mexem os cordelinhos as  figuras da grande finança e das multinacionais.

http://www.jornaldenegocios.pt/economia/mundo/detalhe/seguro_e_portas_vao_representar_portugal_no_encontro_de_bilderberg.html


Visualizar  < Portugal no Nevoeiro : Clicar em visualizar para ver o post

sábado, 20 de abril de 2013

REGRESSO CUSTA 170 MILHÕES/ANO  data--» 07-05-2013

DÍVIDA PÚBLICA - PORTUGAL FAZ EMISSÃO DE TRÊS MIL MILHÕES A DEZ ANOS

REGRESSO CUSTA 170 MILHÕES/ANO

Portugal regressou ontem aos mercados de dívida pública de longo prazo, com uma emissão de três mil milhões de euros a dez anos, antecipando em mais de um ano os objetivos do Governo.

O ministro das Finanças falou em "grande sucesso", mas com uma taxa de juro de 5,65%, esta emissão vai custar aos cofres do Estado cerca de 170 milhões de euros por ano. No final da maturidade, vamos pagar mais 1200 milhões de euros do que se o mesmo empréstimo fosse concedido (pelo mesmo prazo) à Alemanha.

http://planetadosprimatas1.blogspot.pt/2013/01/os-mercados-financeiros.html



Os antecedentes(que devem ser analisados para melhor entender o presente) da sociedade socialista anunciada no pós 25 de Abril de 1974
http://pt.wikipedia.org/wiki/Revolu%C3%A7%C3%A3o_dos_Cravos


PREÂMBULO
 A 25 de Abril de 1974, o Movimento das Forças Armadas, coroando a longa resistência do povo português e interpretando os seus sentimentos profundos, derrubou o regime fascista.
Libertar Portugal da ditadura, da opressão e do colonialismo representou uma transformação revolucionária e o início de uma viragem histórica da sociedade portuguesa.
A Revolução restituiu aos Portugueses os direitos e liberdades fundamentais. No exercício destes direitos e liberdades, os legítimos representantes do povo reúnem-se para elaborar uma Constituição que corresponde às aspirações do país.
A Assembleia Constituinte afirma a decisão do povo português de defender a independência nacional, de garantir os direitos fundamentais dos cidadãos, de estabelecer os princípios basilares da democracia, de assegurar o primado do Estado de Direito democrático e de abrir caminho para uma sociedade socialista, no respeito da vontade do povo português, tendo em vista a construção de um país mais livre, mais justo e mais fraterno.


Preâmbulo da Constituição Portuguesa já com a  revisão de 2005


Agora sejam benvindos à realidade do século XXI :

http://www.infopedia.pt/$socialismo
O socialismo não pode ser desenvolvido sem dinheiro,por isso todos os governos nos ultimos trinta e tal anos acabaram por aderir aos mercados financeiros(ao mesmo tempo que se destruía a produção nacional em nome dos fundos europeus)e iludiam as massas com promessas e ilusões.Por isso o governo Socrates foi acusado de se vender ao neoliberalismo em nome do socialismo(agora tipo terceira via neoliberal) e todos os governos,do ps ao psd/cds, acabam por ficar dependentes dos mercados ou da troika (para ,lá está,voltarem aos mercados) ficando sem soberania e sofrendo imposições( imposições económicas e financeiras dos países ricos aos países mais endividados) .Eis então a grande contradição,o partido socialista na oposição acusa os partidos agora no governo de ultraliberalismo(na economia concerteza) e quando chega ao governo fica dependente dos mercados os quais são adeptos do...neoliberalismo.Eis a grande contradição e a crise do socialismo a par com a ofensiva neoliberal.
 http://www.infopedia.pt/$neoliberalismo

Actualização em 22-08-2013 http://www.clubedejornalistas.pt/?p=8945 O sr Manuel Alegre faz mais uma vez o diagnóstico da crise do socialismo,mas para quando uma consequência em acções??

sexta-feira, 12 de abril de 2013


EM EXIBIÇÃO EM TODO O LADO E PERTO DE SI

Com a economia de rastos e o pib a descer vamos ter de ir aos mercados(com que juros?)para pagar à troika?A alternativa é outro resgate da troika?Faz-me lembrar as viagens do messias entre o sinédrio e Pilatos.Sabemos o fim dessa história.

http://portugalnonevoeiro.blogspot.pt/2012_03_01_archive.html a troika e os 40 ladrões

O acordo de Dublin(com mais tempo mas com os mesmos juros) ou a forma de adiar mais uma vez a resolução da crise económica e social.
http://ponteeuropa.blogspot.pt/2013/04/o-negocio-de-dublin.html

Este sistema político falhou e o sistema económico está podre,só falta saber a forma de sair disto.Fazer um golpe e colocar tropas na rua é relativamente fácil(desde que haja vontade de alguns oficiais)o pior é depois como se viu em 1974,uns iam para a esquerda e outros para a direita,e os problemas aumentaram em vez de se reduzirem.Agora fazer uma Revolução a sério já envolve uma estratégia e um projecto viável(nem fascista nem social-fascista) para o país.Um projecto alternativo ao euro(não podemos esperar pelo BCE que o sr Seguro espera)e alternativo aos mercados(não podemos acreditar nos agiotas que criaram a crise de 2008).Há alguém a trabalhar nesse projecto??

O passado recente e indecente
http://portugalnonevoeiro.blogspot.pt/2012_07_01_archive.html